RECICLAGEM: ABAJUR DE GARRAFA

Em apenas 3 dias já recebi tantas visitinhas, comentários, elogios e até já tenho 27 seguidores… leram bem? V-I-N-T-E     .E.     .S-E-T-E!!! Nunca esperei que o retorno viria tão rápido. Mas é um imenso prazer abrir meu blog e ver novos comentários e novos seguidores… tô me sentindo!!! rs
Outra coisa. Foi imperdoável o que eu fiz no post das cadeiras!!! Eu me esqueci de constar a SUPER-HIPER-MEGA-MASTER-PLUS-ADVANCED ajuda que recebi da minha filhota Bruna e do meu genrinho. Eles ralaram muito me ajudando a tirar o forro verde. Ela até reclamou nos comentários do post anterior… rsrs… mas, enfim, agora fica aqui registrado os meus mais sinceros agradecimentos. Filhota e genrinho, AMO VOCÊS!!!
Bom, chega de taaaanto sentimentalismo e vamos logo ao que interessa:
Hoje vou mostrar pra vocês um abajur, aliás dois, que fiz para colocar no meu quarto. Sempre quis fazer um abajur de garrafa, mas nunca tinha conseguido uma maneira de furar o vidro sem quebrar.
Então, passeando pela blogsfera, vi essa ideia em alguns blogs, mas o que mais me chamou a atenção foi o Blog PEGUEI NA REDE: http://pegueinarede.blogspot.com (perdão gente, mas ainda não sei como colocar links no post! e agradeceria muuuuuito se alguém me ensinasse) – (agora já aprendi a colocar! iupiiii!!! rs)
Lá ela fez com garrafão, mas eu queria com garrafa, de preferência de licor.
O mais difícil foi encontrar a tal broca especial para furar vidro. Eu entrei em TODAS as lojas possíveis aqui da minha cidade e tinha algumas que nunca tinha ouvido falar na tal broca. Não me dando por vencida, pesquisei no Mercado Livre (adoro!) e lá encontrei. O cara vendia somente o jogo por $150,00, mas pedi taaaaanto que ele vendeu apenas uma pra mim, por $15,00. (Se alguém se interessar, acho que ainda tenho o e-mail do vendedor armazenado).
De posse da broca, fizemos vários testes em outras garrafas, pois eu só tinha 2 do licor que eu queria. Quebramos (eu e meu genrinho) umas 5 garrafas de cerveja até pegar o jeito da broca, pois tem que ficar molhando enquanto vai fazendo o furo. Então colocamos um pano velho no tanque e fomos deixando cair um fiozinho de água no vidro enquanto ia furando bem devagarinho. TIRO E QUEDA!
Com as garrafas já furadas, fui comprar o material necessário:
Vou listar o material para uma garrafa e você faz as contas do que vai precisar se resolver fazer mais de um abajur:
1- uma garrafa ou garrafão
2- uma rolha (não usei de vinho, comprei uma rolha separada)
3- um pedaço de rosca sem fim (o suficiente para passar a rolha e sobrar um pedacinho de cada lado, um para a arruela e outro para o soquete – eu levei a rolha na loja e mostrei pro vendedor o tamanho da rosca que eu queria)
4- 1,5m de fio (eu usei fio cristal, acho que fica com melhor aparência)
5- um soquete
6- uma lâmpada
7- uma tomada
8- um interruptor liga/desliga próprio para fio de abajur
9- coisas para colocar dentro da garrafa (eu coloquei bolinhas de gude e aquelas outras pedrinhas de gude que são mais achatadinhas)


Aqui os dois já prontinhos! Eu AMEI!!!

– primeiro você fura a rolha (eu furei com a furadeira mesmo)
– encaixa a rosca sem fim
– numa das extremidades coloca a arruela
– na outra encaixa o soquete (com o fio já montado por dentro e já passado no buraco da garrafa)
– encaixe a lâmpada


Mais detalhes dos encaixes.


Aqui um close do fio e da rosca sem fim.


Aqui os detalhes da tomada e do interruptor liga/desliga próprio para fio de abajur.

Aqui já prontinho para encaixar na boca da garrafa.
– Dica: coloque as bolinhas antes, pois com o fio já passado elas não cabem na boca estreita da garrafa. Aliás, perdi várias bolinhas, pois tem umas que são enoooormes e mesmo sem fio não entraram de jeito nenhum. Tive que me contentar com meia garrafa de bolinhas, sendo que eu queria que ficasse cheinha! mas, enfim…


Aqui tudo já encaixadinho, prontinho para colocar a cúpula.

AAAhhhh, a cúpula! Outra novela para encontrar. Mais uma vez entrei em TODAS as lojas possíveis da cidade e nada. Adivinha onde encontrei??? No Mercado Livre, claro! E o melhor foi que o rapaz fez a cúpula sob medida pra mim. Eu disse como eu queria, quanto queria as medidas de cada parte da cúpula e TCHANAM!!!:

Essas são as imagens da cúpula que o rapaz que encontrei no Mercado Livre fez pra mim. Eu AMEI! No final achei que ficaram um pouco compridas demais, mas não faz mal. Quando eu tiver uma graninha sobrando eu mando fazer outras um pouquinho menores e aproveito essas em uns garrafões que ganhei do genrinho.

E essas são as imagens dele montadinho, prontinho e com a cúpula.

O que acharam? Gostaram?

MINHA CASINHA: GELADEIRA E DESPENSA

Oi gente, nesse feriadão prolongado eu tava com visitas em casa, por isso dei uma sumidinha… mas hoje estou de volta e com alguns detalhes da casinha nova.
Hoje vou mostrar minha despensa e minha geladeira.
Minha despensa ANTES:
Agora vejam como ficou minha despensa DEPOIS da arrumação e antes de fazer as compras do mês, pois depois das compras não coube muita coisa, pelo menos não tãããão arrumadinho como eu gostaria, então vou ter que arrumar tudo novamente pra não ficar aquela bagunça!
Os gêneros alimentícios eu tô guarando aí na despensa e os produtos de limpeza e afins eu tô guardando lá fora, no despejo, pois assim não ficam próximos aos alimentos e acho que fica mais arrumadinho. Num outro post eu mostro meu despejo pra vocês.

 

Fala a verdade, meu blog deveria se chamar ARRUMADÍSSIMO.COM né!!! (rsrs), pena que a Isabela Kastrup já tem um blog com esse nome, o Blog Arrumadíssimo, que é muuuuito bom por sinal. Se você não conhece, vai lá dar uma olhadinha, pois é ótimo e tem dicas excelentes!
Agora minha geladeira ANTES da aplicação do adesivo:

E agora vejam como ela ficou muito fofa depois que eu apliquei o adesivo de gatinho que comprei no Mercado Livre.
Minha amiga blogueira Lucia Klein, do Blog Calma Que Estou Com Pressa, me mandou um e-mail com um molde de ninho com passarinho, para eu fazer no contact preto e colar na parte de cima da geladeira, onde atualmente estão os ímãs, mas ainda não deu tempo e, assim que eu fizer, posto para vocês verem como ficou.
Não ficou lindo???!!! Eu AMEI!
Como atualmente tudo o que é considerado “cafona” tem feito a minha cabeça, não poderia faltar um pinguim em cima da minha geladera né. Esse aí foi meu irmão Hermes que deu de presente para minha filha Bruna, no aniversário de 17 anos dela… ela ODIOU (rs), mas foi de brincadeirinha, pois dentro dele tinha uma “nota” (que não estou autorizada a dizer o valor… rsrs), o que na verdade era o presente; o pinguim ele deu só pra deixar ela irritadinha! Mas eu não deixei ela jogar o pobrezinho fora, eu achei tão bonitinho e mais que depressa arrumei uma casinha pra ele. Já faz 2 anos que ele está aí em cima da minha geladeira.

 

Eu acho muito fofo, por isso ele não sai daí.
Vocês se lembram do porta-contas que eu fiz antes da mudança? O post dele tá aqui. Depois da mudança o fixei na geladeira com fita banana e vejam como ele está agora:

 

Aí ficam nossas chaves, o que antes da mudança viviam jogadas em qualquer lugar da casa, e fica também meu papagaio preto, que é o meu abridor de garrafas de estimação… ele não é lindo também???!!! Quando o vi numa lojinha que costumo comprar minhas licoreiras (tenho coleção delas), eu não resisti e comprei, mesmo custando um pouco carinho. Todo mundo que chega pergunta o que é e depois que eu digo todo mundo quer saber onde eu comprei, por isso eu tô deixando ele penduradinho aí, e ele tá fazendo o maior sucesso! rs
Eu gostei muito do meu porta-contas fixado na geladeira, fica num lugar de fácil acesso e assim que as contas forem chegando, a gente vai colocando ali, pra não perder nenhuma e quando chegar o dia do pagamento ficar fácil de encontrar. Antes da mudança eu deixava tudo na mesinha do meu quarto, mas ficava meio bagunçadinho e agora a ordem é desbagunçar, então acho que foi uma excelente ideia.
Hoje vou terminar de tirar as fotos da copa e da cozinha e amanhã eu posto para vocês darem uma olhadinha. Lembrem-se que AMO DE PAIXÃO seus pitacos, dicas, opiniões… sempre tem alguma coisa que eu acabo mudando em casa por conta das dicas de vocês. Portanto, fiquem a vontade!
E então, o que vocês acharam?
Eu, pra variar, tô amando!
Beijocas e linda semana (bem curtinha) pra todos!

Hotel Tamarindo

Playa Tamarindo é um apraia na Costa Rica, na localizada na costa oeste da província de Guanacaste. COm cenário paradisíaco, a praia atrai milhares de turistas de todo o mundo e possui estrutura para isso. São centenas de hotéis, bares, discotecas, restaurantes e lojas de toda a sorte. Tudo para agradar o visitante que não fica apenas maravilhado com a beleza do local, mas também com a vida noturna e demais atrativos.

Tamarindo tem aproximadamente 2,000 habitantes. Algumas das residências dos habitantes estão localizadas nas colinas, oferecendo vistas excelentes do oceano e a grande quantidade de natureza da zona.

Ao turista, que quiser passar alguns dias em Tamarindo, resta então procurar alguns bons hotéis na região. Claro, desembolsando uma boa quantia em dinheiro. As diárias em hotéis decentes custam em torno de U$100, para hotéis com um pouco mais de conforto ultrapassam os 300 dólares por pessoa. Mas, cá para nós, vale a pena, confira na foto.

Champanhes e espumantes na Mistral, um show de borbulhas.

Champanhe e espumantes não são uma invenção de Dom Pérignon, embora as experiências do monge tenham sido fundamentais para se chegar ao vinho inquieto que arrebata corações. O champanhe já era conhecido como Messieur Pétard, o senhor Rojão, desde a época em que Genghis Khan conquistou a Pérsia e Viena se tornou uma cidade, isto é por volta de 1220. Era um vinho que se pensava ser tranqüilo, mas tinha um temperamento explosivo a ponto de obrigar o pessoal a entrar na cave com máscaras de ferro. O tempo passou e a região da Champagne e seus vinhateiros foram obrigados a se renderem ao gênio vibrante de seu vinho, passaram a produzi-lo respeitando suas idiossincrasias e caprichos: uma bebida com borbulhas que na boca se transformam numa mousse cremosa e leve com notas de brioche, pão tostado e fermento (mais detalhes sobre a história do champanhe em meu livro “O que é enologia?”, R$ 16, pela editora Brasiliense).Daí para frente, não somente o mundo se rendeu ao encanto do champanhe, mas tratou de copiá-lo. Os vinhateiros das demais regiões francesas foram os primeiros, certamente. E desde que somente se pode denominar champanhe o vinho feito na região de Champagne, as bebidas francesas de mesmo gênero passaram a se chamar Crémant .

No final do séc. 19, o catalão Josep Raventós I Fatjó da casa Codorniu fez uma visita à Champagne e em 1872 Josep Raventós elaborou 3.000 garrafas de Cava segundo o método de segunda fermentação na garrafa. O sucesso levou outros produtores de Sant Sadurní d’Anoia a produzirem o espumante e tornar esta região a capital da cava, bebida feita com uvas brancas autóctones (macabeo, parellada e xarel.lo) e personalidade própria. Hoje em dia, também podem entrar em sua composição a Chardonnay e a Subirat Parent (Malvasía Riojana).

Os espumantes da região de Franciacorta, Lombardia são feitos a partir da Chardonnay, Pinot Bianco e Pinot Nero, sempre pelo método champenoise, e são magníficos. Acompanham risotos, frutos do mar, carne branca e peixe assado.
No Brasil, o espumante tem se revelado o melhor dos nossos vinhos e há quem diga serem eles a vocação natural de nossa Serra Gaúcha. E em Portugal, o mestre Luis Pato produz um espumante rosado brut com a uva Baga: complexo, refrescante, de aroma intenso e cor de salmão.

O champanhe brut nasceu para atender o mercado britânico e se consagrou pelo mundo afora. Daí foi um pulo para se criar o Nature, a bebida com dosagem zero de açúcar. Deliciosos exemplos de Nature foram degustados no Encontro Mistral 2008 que apresentou o melhor dessas borbulhas de que falamos: champanhes Bollinger e Ayala, cava Jané Ventura, os espumantes de Luis Pato e da brasileira Vallontano, o fantástico Franciacorta da Cà del Bosco e o excelente Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 2004 da Dopff au Moulin. Confira no vídeo o que dizem os produtores e os amantes desse vinho irrequieto.

 

Vinhos Suíços – Uma agradável surpresa Cláudio da Rocha Miranda*

Champanhe e espumantes não são uma invenção de Dom Pérignon, embora as experiências do monge tenham sido fundamentais para se chegar ao vinho inquieto que arrebata corações. O champanhe já era conhecido como Messieur Pétard, o senhor Rojão, desde a época em que Genghis Khan conquistou a Pérsia e Viena se tornou uma cidade, isto é por volta de 1220. Era um vinho que se pensava ser tranqüilo, mas tinha um temperamento explosivo a ponto de obrigar o pessoal a entrar na cave com máscaras de ferro. O tempo passou e a região da Champagne e seus vinhateiros foram obrigados a se renderem ao gênio vibrante de seu vinho, passaram a produzi-lo respeitando suas idiossincrasias e caprichos: uma bebida com borbulhas que na boca se transformam numa mousse cremosa e leve com notas de brioche, pão tostado e fermento (mais detalhes sobre a história do champanhe em meu livro “O que é enologia?”, R$ 16, pela editora Brasiliense).

Daí para frente, não somente o mundo se rendeu ao encanto do champanhe, mas tratou de copiá-lo. Os vinhateiros das demais regiões francesas foram os primeiros, certamente. E desde que somente se pode denominar champanhe o vinho feito na região de Champagne, as bebidas francesas de mesmo gênero passaram a se chamar Crémant .

No final do séc. 19, o catalão Josep Raventós I Fatjó da casa Codorniu fez uma visita à Champagne e em 1872 Josep Raventós elaborou 3.000 garrafas de Cava segundo o método de segunda fermentação na garrafa. O sucesso levou outros produtores de Sant Sadurní d’Anoia a produzirem o espumante e tornar esta região a capital da cava, bebida feita com uvas brancas autóctones (macabeo, parellada e xarel.lo) e personalidade própria. Hoje em dia, também podem entrar em sua composição a Chardonnay e a Subirat Parent (Malvasía Riojana).

Os espumantes da região de Franciacorta, Lombardia são feitos a partir da Chardonnay, Pinot Bianco e Pinot Nero, sempre pelo método champenoise, e são magníficos. Acompanham risotos, frutos do mar, carne branca e peixe assado.
No Brasil, o espumante tem se revelado o melhor dos nossos vinhos e há quem diga serem eles a vocação natural de nossa Serra Gaúcha. E em Portugal, o mestre Luis Pato produz um espumante rosado brut com a uva Baga: complexo, refrescante, de aroma intenso e cor de salmão.

O champanhe brut nasceu para atender o mercado britânico e se consagrou pelo mundo afora. Daí foi um pulo para se criar o Nature, a bebida com dosagem zero de açúcar. Deliciosos exemplos de Nature foram degustados no Encontro Mistral 2008 que apresentou o melhor dessas borbulhas de que falamos: champanhes Bollinger e Ayala, cava Jané Ventura, os espumantes de Luis Pato e da brasileira Vallontano, o fantástico Franciacorta da Cà del Bosco e o excelente Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 2004 da Dopff au Moulin. Confira no vídeo o que dizem os produtores e os amantes desse vinho irrequieto.

Veja a forma correta para abrir um champanhe.

Angheben, elegância nacional.

Há quem comece por declarar que os espumantes brasileiros são de excelente qualidade só para poder emendar em seguida uma conjunção adversativa, um mas , um porém , um todavia ou mesmo um entretanto ali colocado com o intuito de desqualificar o restante da produção nacional de vinhos mais tranqüilos. O que não é nem justo nem verdadeiro. Didu Russo já me contou que numa penada se pode enumerar algumas dezenas de bons vinhos brasileiros. Pois agora, podemos afirmar também que o Brasil tem bons vinhos de garage ou butique , grife utilizada para nomear vinhos artesanais de baixíssima produção e altíssima qualidade.Angheben
É da Angheben um dos nossos vinhos nacionais de butique, elegante e de taninos suaves, e – pasme! – com preço correto ao alcance do comum dos mortais. Angheben é termo do celta antigo para denominar os habitantes do vale, mas no Brasil de hoje indica a vinícola familiar de Encruzilhada do Sul, situada na Serra, não a Gaúcha, mas a do Sudeste, no Rio Grande do Sul. Os enólogos Idalêncio Angheben e o filho Eduardo fazem parte de um seleto grupo de pequenos produtores artesanais comprometidos com a expressão do terroir e sem interesse em copiar o estilo dos vinhos chilenos e argentinos. Pelo contrário, produzem vinhos originais e únicos com castas européias menos conhecidas como a Barbera (norte da Itália), a Touriga Nacional (Portugal) ou a Teroldego (Trento, Itália) para elaborar em limitada produção vinhos elegantes, fáceis de beber e muito saborosos. E, surpreendentemente, com preços compatíveis e graus alcoólicos sensatos, na média de 12,5°.

O Barbera 2007, um pouco mais leve que o de Piedmonte, é um campeão de sabor e acidez perfeita, delicioso e fresco. Por razoáveis R$ 33,75. Um autêntico Best Buy. O Touriga Nacional 2004 (R$22,50) e o Cabernet Sauvignon 2004 (R$ 22,50) também são outros dois varietais saborosos de aroma intenso e uso sábio de barrica (50% passa por madeira nova e usada). Por falar em aroma, o Pinot Noir 2008 da Angheben apresenta característico e duradouro aroma de Pinot Noir, um vinho delicado, de taninos civilizados e muito prazer (R$ 36,25).

O Para os amantes dos brancos, a Angheben reserva além de um bom espumante Brut (R$ 46,25), um Gewürztraminer 2008 delicado, seco, sem untuosidade e excessos desagradáveis (R$ 29). Quem distribui a Angheben é a Vinci www.vincivinhos.com.br . Encruzilhadas do Sul na Serra do Sudeste tem um leque de temperaturas extremadas que atingem no verão 35°C de dia e 20°C de noite. É uma região mais versátil e seca, de solo pobre arenoso que permite a drenagem da água.

Idalêncio Angheben foi enólogo da Chandon e da Aurora, além de professor de enologia. É o homem que cuida das vinhas, enquanto o filho Eduardo, também enólogo, responde pela vinificação e para quem “não é a tecnologia que se reflete em qualidade, mas uma técnica apurada que vai desde a produção das uvas até a do vinho”. A vinícola começou em 1999 e o primeiro vinho foi lançado em 2001 e 2004 é a primeira safra de vinhos próprios. Assista o vídeo e veja o que eles têm a dizer .

Peixe com Vinho. A combinação perfeita para comemorar sua reforma

Uma ampla revisão de pesquisas recentes sobre consumo de vinhos e peixes, mostrou que a bebida ajuda a quebrar os ácidos graxos ômega-3 abundantes em muitos tipos de frutos do mar. Isso ajuda a manter o tecido do coração forte e saudável.


O estudo, publicado recentemente na revista Current Pharmaceutical Biotechnology, revela que os corações daqueles que regularmente consomem vinho e ácidos graxos ômega-3 têm 20% a mais de tecido cardíaco, indicando um sistema cardiovascular que se regenera com maior regularidade. O coração humano se contrai cerca de 100.000 vezes a cada 24 horas. Portanto, a sua capacidade de regeneração é fundamental para a manutenção de ritmo de batimento constante.
Os autores do estudo, Joel de Leiris e Dr. Michel de Lorgeril, descobiram que os consumidores moderados de álcool apresentaram níveis mais elevados de ômega-3 em seus corpos, em comparação com os abstêmios, apesar de consumirem uma quantidade similar de frutos do mar.

Peixe com Vinho e comemorar


Ao analisarem dados de 84 estudos independentes, a equipe de Leiris encontrou taxas mais baixas de doenças cardíacas entre os que comiam peixe e bebiam vinho regularmente. Diz o estudo que “as interações entre o consumo de vinho e do metabolismo de ácidos graxos poliinsaturados omega-3 podem contribuir substancialmente para o efeito cardioprotetor do consumo regular e moderado de vinho”. A quantidade ideal de vinho é 2 a 4 copos por dia, combinando com peixes ricos em ômega-3, de água fria, como anchova, arenque e cavala.

Como acertar nas compras da promoção?

Essa semana quebrei a cabeça tentando pensar em alguma dica/sugestão/ideia que ainda não tinha dado aqui no blog, fiquei pensando em várias matérias que já fiz e me dei conta que NUNCA falamos sobre promoção! Que horror! Juro, fiquei desapontada comigo mesma! rsrs.

Isso é uma das coisas que nós, mulheres, mais amamos e que também mais temos dificuldade. Falo até  por experiência própria, cansei de comprar algo porque estava com preço bom,ou até mesmo pra aumentar o off da promoção progressiva, em que quanto maior a quantidade de mercadoria, maior é o desconto. Fico até com vergonha de confessar isso, mas que me ataquem a primeira pedra, quem nunca comprou por puro impulso e calor do momento?!
Essas são as piores compras e as que mais nos arrependemos, passa dias/meses e aquela roupa ‘encalha’ de vez no armário.

Pensei em tudo isso e resolvi resumir algumas dicas que uso pra inverter a estratégia de venda das lojas ao meu favor. Portanto, o intuito aqui hoje é incentivar vocês a ‘pensarem’ mais antes de comprar, fazer compras inteligentes e que podemos usar durante longos e bons anos!

Nº1 – QUALIDADE

O barato as vezes sai caro, esse é um dos ditados mais verídicos que já ouvi até hoje, e se pararmos pra pensar ao pé da letra e realmente isso que acontece. As vezes compramos algo pelo preço e esquecemos de ver que talvez não dure nada, – isso não quer dizer que o barato não é bom, ok?? -.
Anotem essa dica: Antes de realizar qualquer compra você deve pensar no custo-benefício que ela te proporcionará. É uma blusa baratinha, que em duas ou três lavagens pode estragar, vale a pena? Adquirir um vestido deslumbrante e ‘carésimo’ que agora está em sale só pra usar pouquíssimas vezes, compensa? Se você fizer esse tipo pergunta e se convencer de que, mesmo diante dessas situações, ainda vale a pena pagar o preço, então, será uma excelente compra. Se ficar na dúvida, saia da loja, peça para reservar a peça e pense melhor. Muitas vezes, só de sair e refrescar a cabeça, você percebe que aquele item nem faria tanta diferença assim.

PREÇO X NECESSIDADE

O título já diz praticamente tudo, e apesar de sabermos disso, vira e mexe acabamos cometendo a mesma gafe de todas as promoções: Comprar mais do que o necessário!
A ideia do SALE  é juntamente incentivar a saída das peças antigas, ou seja, é você ir à loja e gastar mesmo. As marcas jogam os preços lá embaixo e com isso nos animamos mais que o desejado!
É sempre importante avaliar o estado da peça e se realmente será útil, afinal de contas de que adianta comprar uma roupa baratinha que vai ficar esquecida no seu guarda-roupa?

PEÇAS DE MODA VS PEÇAS ETERNAS

Algumas peças da moda têm data para estar no auge e data para ficarem completamente out. Ou seja, descarte a chance de comprar uma roupa que foi ícone da moda quando a tendência já estiver em baixa – mesmo que o preço também esteja em baixa -,  a moda sempre volta reciclada e com várias alterações, comprar uma peça já nos seus últimos suspiros de vida é um péssimo negócio.
De qualquer forma, tudo o que for mais neutro e básico acaba sendo um bom investimento. Um bom exemplo disso, são as camisas de seda, as alfaiatarias, peças em couro e estampas atemporais, como, poá, listra, onça, xadrez e floral! Essas sim, são clássicas e tem vida longa no mundo fashion!

FOQUE NO SEU ESTILO, SEMPRE!

Seu estilo deve estar sempre em primeiro lugar, e não a moda. Aproveite as épocas de promoção para comprar roupas que você usa muito. Um exemplo: calças jeans, t-shirts, regatinhas brancas…
As vezes é difícil resistir, mas fica mais fácil quando entendemos que promoções não foram feitas para comprar roupas de temporada e sim pra aproveitarmos os descontos e adquirirmos o que é sempre essencial no armário e nada ‘vida real’.

————————————————————————————————————————————————

Ufa, por fim é isso! Tentei resumir ao máximo, mas mesmo assim sem deixar nenhum item importante de lado.
Espero que tenham gostado, e que também tenham me interpretado bem (pelo amor gente), sou apaixonada por uma promoção e por roupas baratchenhascostumo chama-las de custoXbenefício -, mas também sei que mesmo um (-$) precisa de bom senso. As vezes é só deixar o impulso de lado! Mas é isso, que algumas dicas que aprendi a funcionar comigo sirva também para vocês fazerem ótimas e deliciosas compras!

Clericot – A Receita

Resolvi compartilhar com vocês a receita de um drink bem típico de Punta del Este, O Clericot. Esses tempo atrás uma amiga vez e ficou uma delícia, muito bom mesmo! Tiramos fotos com todo o passo-a-passo para vocês experimentarem em casa. O Clericot é um drink ótimo para aquelas tardes mais longas e quentes que estão por vir, já que é bem levinho e refrescante!

Os ingredientes:

Champagne Cointreau

As frutas vão mais da preferência de cada um, nesse dia fizemos com: Nectarina; Maça; Uva thompson; Morango e Manga bourbon. (Colocar abacaxi e laranja fica ótimo).

Modo-De-Preparo:

. Pique as frutas, sem casca, e coloque-as em uma jarra 2. Acrescente a champagne

3. Adicione bastante gelo 4. Finalize com 50 ml de Cointreau e complete com o açúcar ou adoçante. Mexa ligeiramente com uma colher de cabo comprido.

Nesse dia passamos o dia no sol, com muita piscina e clericot, aproveitei também para tirar fotos das comidinhas e dos aperitivos, vejam só:

Sardenha: Primeiras impressões

Buongiorno mi amores! Como muitas já devem ter visto pelo meu intagram (@gablopes) eu estou na Itália desde segunda-feira, mais precisamente na Sardenhailha tão amada, badalada e apaixonante, vocês não fazem ideia do que é a beleza desse lugar, a ilha é famosa pela cor inconfundível do seu mar, natureza preservada e que guarda uma surpresa a cada ruela -.

Vou ficar 5 dias aqui e depois já sigo para outros destinos dentro da Itália mesmo, vou contando tudo com calma e não deixando passar nada batido, ok?! Pensei em fazer esse post como uma espécie de diário e dicas juntas. Acho que fica com uma linha do tempo mais fácil de explicar e mostrar tudo.
Quero muuuitos comentários, ta?? É ótimo quando vocês participam, dão opiniões e sugestões para as outras matérias. Fica mais fácil de saber se vocês estão gostando dos posts e o que querem ver.

Bom, vamos lá:

Check-in

Essa foto fiz ainda no avião, estavamos sobrevoando a Suiça e a imagem da janela era linda demais! Infelizmente fotos de iPhone – apesar da tecnólogia – são pouco confiáveis. Nesse dia a lua estava surreal de tão grande e perto!!

Cheguamos na Sardenha quase 20h da noite da noite e nesse dia só fomos comer perto do hotel mesmo e já voltamos pra dormir. Acabei não fazendo nenhuma foto desse dia, então segue as fotos do dia seguinte:

O hotel tem várias piscinas que você vai descobrindo conforme vai subindo as pedras, elas são pequenas e super charmosas, fica quase privativa se você tiver uma turma! É muito lindo e tem uma mega visual!

Sardenha

No próprio pier tem um trem que faz um city tour super rapidinho pela região. Dura em torno de 25 minutos e custa EUR20. Ele pega os principais pontos e vai explicando tudo, é ótimo pra te dar uma noção de geral de como é a ilha. A única parte ruim é que ele não para pra tirar foto! Fiz algumas com ele andando mesmo, mas outras passava tão rápido que não dava nem tempo de preparar pra tirar.